Previdência Privada – Vale a pena? Mitos e verdades!

Depois da poupança, a previdência privada é um dos investimentos mais populares entre os brasileiros. Mas será mesmo que vale a pena? Como escolher um plano de previdência? Quais taxas são cobradas na previdência privada? Respostas para essas e outras dúvidas, continue lendo.

Vale a pena contratar um plano de previdência privada?

A resposta para esse pergunta é DEPENDE! Em alguns casos, realmente ela pode ser uma furada, em outros, pode ser a melhor opção. A primeira coisa a saber sobre a previdência privada é que ela possui planos diferentes, com tabelas de cobranças diferentes. Para fazer valer a pena, a previdência privada deve ser ter, primeiro, uma boa rentabilidade, taxas próximas a zero e você deve saber escolher qual tipo de plano e qual tabela irá reger a sua previdência.

Vantagens da Previdência privada

  • Possui rendimentos acima da inflação;
  • Investimento de baixíssimo risco;
  • investimento de longo prazo que viabiliza o desenvolvimento hábito de poupar
  • Em caso de morte do titular, os familiares recebem o valor, sem a necessidade de inventário.
  • Não existe a cobrança do Imposto Sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens e Direitos (ITCMD);
  • Sabendo escolher o plano e a tabela correta, podem render muito mais do que a poupança e a previdência social;
  • Você é livre para escolher como deseja resgatar o dinheiro investido: sacar o valor total, ou receber uma renda mensal temporária ou vitalícia;
  • Possibilita mudar trocar de fundo investidor ou gestor sem perder o cálculo de tempo para o Imposto de Renda.

Cuidados ao contratar uma previdência privada

Diversos bancos e corretoras disponibilizam planos de previdência privadas. Antes de escolher e contratar sua previdência privada, sempre pergunte sobre as taxas cobradas. Essas taxas podem variar muito de uma instituição para outra. As taxas de carregamento, por exemplo, aplicada a cada depósito que você fará na sua conta da previdência, podem variar de 0% a 6%. Ou seja, existem instituições que não cobram taxa nenhuma de carregamento e você pode estar pagando 6%, perdendo uma grande parte do seu lucro com isso.

Por exemplo, depositando R$ 200,00 mensais em sua previdência com taxa de carregamento de apenas 2% (R$4,00) mensais, durante 20 anos, você terá R$79.300,00. Esse mesmo valor aplicado numa previdência com taxa de carregamento de 0%, te renderá R$80.800. Uma diferença de R$1.500,00.

Já a taxa de administração é cobrada por todas instituições bancárias mas, também, podem variar bastante, tanto de acordo ao saldo acumulado na sua conta da previdência ao longo do plano, quanto de instituição para outra.

Ou seja, quanto menor a taxa de carregamento e a taxa de administração cobrada no seu plano de previdência, melhor! O ideal é que a taxa de carregamento seja 0% e que a taxa de administração seja bem próxima a isso (0%).

PGBL ou VGBL – Qual plano de previdência privada escolher?

Existem 2 modalidades de planos de previdência privada, ambos permitem que você faça aplicações periódicas a fim de poupar para um determinado objetivo de longo prazo. Ter acesso as características dos dois tipos disponíveis, é essencial para analisar e acertar na escolha. Essa escolha deve estar pautada de acordo ao seu perfil, por quanto tempo deseja investir, com qual porcentagem da sua renda bruta irá contribuir, dentre outras coisas. Optar por um plano errado, que não se enquadre em sua situação, fará você perder muito dinheiro.

Dica importante: Caso você vá investir mais do que 12% da sua renda bruta, ca dica é fazer duas previdência uma em cada plano, para usufruir dos benefícios que cada uma delas apresenta.

PGBL – Para quem é indicado, benefícios, tributação e resgate

O PGBL, sigla para plano gerador para benefício livre, é indicada para quem é CLT, tem a carteira assinada, e faz a declaração do IR completa. Também é uma boa escolha para quem tem muita despesa dedutível no imposto de renda, ou que investe até 12% da sua renda bruta anual.

Ao optar pelo plano PGBL você estará ganhando um benefício fiscal, onde os valores depositados podem ser deduzidos da base de cálculo do imposto de renda em até 12% da renda bruta anual. Na hora do resgate, todo o valor estará sujeito a incidência do imposto de renda.

VGBL – Para quem é indicado, benefícios, tributação e resgate

O VGBL, sigla para vida geradora de benefício livre, é indicada para quem declara o imposto de renda simplificado, para quem não possui muita despesa dedutível, ou quem não declara imposto de renda, ou pretende contribuir mais do que 12% da sua renda bruta. Os valores depositados nesse fundo, não podem ser deduzidos do imposto de renda, e em caso de resgate, você pagará imposto apenas sobre os rendimentos.

Tabela Progressiva ou Tabela Regressiva – Qual regime de tributação escolher

A tabela Regressiva é indicada para investimentos de longuíssimos prazos, com resgate a partir de 10 anos pois, a cada 2 anos, com seu dinheiro parado na previdência, a alíquota do imposto de renda é reduzida.

A redução da alíquota acontece da seguinte maneira:

  • Investimentos resgatados em até 2 anos, pagarão alíquota de 35% de IR.
  • Investimentos resgatados entre 2 e 4 anos, pagarão alíquota de 30% de IR.
  • Investimentos resgatados entre 4 e 6 anos, pagarão alíquota de 25% de IR.
  • Investimentos resgatados entre 6 e 8 anos, pagarão alíquota de 20% de IR.
  • Investimentos resgatados entre 8 e 10 anos, pagarão alíquota de 15% de IR.
  • Resgates feitos acima de 10 anos, pagarão alíquota mínima de 10% de IR.

 

A tabela progressiva é ideal para quem possui objetivos de curto e médio prazo. Ela tem alíquota igual do imposto de renda, diretamente ligada ao montante de lucro que você tem na previdência.

A tabele atual (2018) relativa à tributação progressiva vigente é:

Base de Cálculo (R$) Alíquota (%)Valor do IRPF (R$)
Até R$1.903,98------
De R$ 1.903,98 até R$2.826,657,5De 142,80 até 212
De R$ 2.826,65 até R$ 3.751,5515De 354,80 até 562,66
De R$ 3.751,55 até R$ 4.664,6822,5De 636,13 até 1.049,55
Acima de R$4.664,6827,5A partir de 1.282,79

A título de antecipação de resgate, nessa tabela, é cobrado uma alíquota única de 15%.

Rentabilidade da previdência privada

Antes de contratar um plano de previdência, é interessante que você solicite a lâmina do plano para analisar se, no gráfico, a linha que representa o rendimento do fundo da previdência nos últimos meses, está acima ou bem próxima, da linha que representa o CDI. Caso as linhas estejam dessa maneira, isso significa que os rendimentos desse fundos são bons e pode ser uma boa opção. Caso a linha de rendimento do fundo, esteja bem abaixo da linha do CDI, significa que seus rendimentos estão muito baixos, não sendo uma boa opção para contratação.

Outro aspecto que deve ser observado são em quais ativos esse fundo de previdência está investindo. É importante que os ativos sejam interessantes do ponto de vista financeiro, com bom rendimento e segurança.

Mitos e verdades da Previdência Privada

A previdência privada é um assunto um pouco complicado, cheio de siglas, números e surgem muitos mitos a respeito dela. Antes de escolher e contratar, fique por dentro dos mitos e verdades sobre a previdência privada.

A previdência privada não tem risco? MITO

Toda previdência privada está referenciada a algum banco privado. Caso, este banco privado não for sustentável o suficiente, se não for uma instituição segura, SIM, você corre o risco de perder todo o seu dinheiro, se ele quebrar.

A previdência privada rende mais que a poupança? MITO

Na previdência privada, costumam ser cobradas taxas de administração e taxa de carregamento. Normalmente, ao iniciar o seu investimento, com valores menores, as taxas somarão 4% (2% de taxa de administração e 2% taxa de carregamento), o que faz você perder 4% de rentabilidade. Caso essa previdência, renda 10% ao ano, por exemplo, ela passará a render apenas 6%. Ou seja, nem sempre a previdência renderá mais que a poupança. Para que a previdência privada seja um bom negócio é bom ficar de olho nas taxas cobradas.

Posso abater a previdência privada no Imposto de renda? VERDADE

A previdência privada pode ser utilizada com uma espécie de beneficio no imposto de renda. No entanto para usufruir desse benefício, você deve ter a carteira assinada (CLT), ter escolhido o plano PGBL e fazer a declaração do IR completa. Então, se você tem a carteira assinada e está disposto a investir 12% da sua renda tributável na previdência privada, ela pode ser um bom negócio.

Previdência privada é um bom negócio em caso de falecimento? VERDADE

Se você estiver pagando por sua previdência privada e acabar falecendo, todo dinheiro que estiver na sua conta da previdência será destinado ao herdeiro que você tenha escolhido e declarado no momento da contratação da previdência privada. Caso, você já esteja usufruindo da previdência, recebendo o dinheiro e tenha escolhido por renda vitalícia, esse dinheiro ficará para a instituição bancaria e não será repassado para nenhum herdeiro.

Fazer previdência privada junto com a empresa que trabalha rende muito mais? VERDADE

Quando se contrata uma previdência privada junto com a empresa que você trabalha, automaticamente a empresa deposita junto com você a mesma quantia que você depositou. Dessa forma, você já terá 100% de lucro garantido. Mas, você deve ficar atento em qual previdência a empresa está depositando este dinheiro, se ela é segura. Pois, existem instituições que podem falir e dessa forma, você ficará sem o seu dinheiro. Além disso, com o intuito de segurar os bons profissionais, existem muitas empresas que atrelam o recebimento dessa parcela que estão depositando na sua conta da previdência, a sua continuidade na empresa, estabelecendo prazos mínimos para resgate, ou até mesmo, estabelecendo o resgate apenas na sua aposentadoria.

Posso transferir a previdência de um banco para outro? VERDADE

Caso você contrate uma previdência mais cara, com taxas de administração e carregamento altas, e logo depois, tome conhecimento de uma outra que cobre uma taxa de administração menor e/ou não cobre nada pela taxa de carregamento e, você queira continuar com seu plano de previdência, poderá solicitar a transferência do primeiro banco para outro, fazendo a portabilidade da previdência.

Outra dica é, caso você perceba que a sua previdência não está rendendo o suficiente e ela tenha regime tributário favorável, você poderá sacar todo dinheiro e investi-lo no Tesouro IPCA. Nesse caso, você precisará ficar atento aos prazos, para não precisar pagar nenhum multa para resgatar o dinheiro investido. Muitas vezes, valerá a pena fazer essa troca.

Fazer uma previdência privada é a única maneira de tirar dinheiro da sua conta para a sua aposentadoria? MITO

Existe essa mesma possibilidade, desconto direto na conta, para investir no tesouro direto, um título de renda fixa. Basta você configurar durante a contratação com sua corretora, escolhendo uma quantia que será mensalmente descontada da sua conta corrente. Essa quantia será enviada para conta da sua corretora e, automaticamente, investida no tesouro direto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *