Como eliminar gastos, dívidas e investimentos ruins

Juntar dinheiro para realizar um sonho ou, até mesmo, ter uma reserva de emergência é do desejo de muita gente. O difícil é saber como e por onde começar, principalmente quando não se tem nenhum dinheiro. Nesse artigo, iremos te dar algumas dicas de como eliminar gastos desnecessários, diminuir as dívidas e escolher bons investimentos, para que você possa, finalmente, começar a ver seu dinheiro render e alcançar os seus objetivos.

Passo a passo de como identificar e eliminar gastos desnecessário

Passo 1 – Organizar e reconhecer os gastos

A primeira coisa que você deve fazer é listar todos os seus gastos mensais. Para te ajudar nessa tarefa, é interessante que você siga algum dos modelos prontos de planilha de orçamento doméstico, disponíveis na internet. Nessa planilha, você deverá listar todos os seus gastos, desde o estacionamento no shopping até as contas de água e luz. O intuito de utilizar essa planilha é te auxiliar na organização de suas contas, fornecendo um panorama da sua situação financeira, observando onde estão “os gargalos” de suas despesas, ou seja, por onde está saindo dinheiro demais, sem que você perceba. A partir dessa planilha, você poderá ajustar a sua rotina de forma que ela contribua para melhora da sua saúde financeira.

Passo 2 – Identificar custos fixos, variáveis e não recorrentes 

O segundo passo é identificar quais desses gastos são custos fixos, custos esporádicos, o que são dívidas. Os custos e despesas fixas são aqueles que não sofrem alteração de valor mês a mês, como por exemplo o aluguel da casa, salário de empregado, iptu, entre outros. Já os custos variáveis são os que variam proporcionalmente de acordo ao uso, como por exemplo, a conta de água, luz, telefone, gasolina, etc. Já financiamentos de carro, casa, compras parceladas no cartões de crédito, são dívidas, mesmo que pagas em dia.

Os custos, principalmente os variáveis, podem ser reduzidos. Por exemplo, diminuindo o consumo de ;agua e luz, com medidas simples como evitar de deixar as luzes acesas sem estar no cômodo, fazer você mesmo pequenos reparos que consertem possíveis vazamentos, dentre outras pequenas ações que podem fazer uma enorme diferença ao final do mês. E caso você entre de cabeça, poderá diminuir seus gastos até com aluguel. Se você mora em uma casa que o aluguel custa R$2 mil, poderá ficar de olho em algum outro imóvel que te ofereça as mesmas comodidades ou até melhores, por um preço menor.

Passo 3 – Identificar e eliminar gastos desnecessários

Se você seguiu todo o passo a passo e chegou até aqui, já sabe exatamente onde e com que gasta o seu dinheiro. Observe sua planilha e anotações e veja o que você pode eliminar e/ou fazer você mesmo, para evitar esses gastos desnecessários, fazendo com que sobre uma graninha no final do mês para poder pagar as dividas em atraso e começar a fazer seu pé de meia. Mas, quais gastos são esse? Cada pessoa tem suas peculiaridades entretanto, no geral, costumam pagar por serviços que não utilizam, por exemplo a academia que para não frequenta; netflix que paga para 3 pontos e só utiliza um (ou nenhum), luzes acesas, aparelhos em stand-by, anuidade de cartão de crédito (já existem várias opções de cartão de crédito sem anuidade), tarifa bancária ou similar, seguros desnecessários, o desconto que você não pediu.

Algumas dicas de como diminuir e/ou eliminar alguns gastos:

  • Para quem trabalha fora, uma dica é preparar e levar o almoço de casa. a gente sabe que comer fora é um pouco mais caro e levando sua marmita, poderá economizar até 50% do valor gasto com o almoço e lanches.
  • Outra dica legal, para quem vai trabalhar todos os dias de carro é dividir. Combine com seus colegas de trabalho ou vizinhos, veja quem faz o mesmo percurso, sugira um rodízio, rache o valor da gasolina, ou até mesmo, deixe o carro para usar só no fim de semana e passa a ir trabalhar de ônibus ou metrô.
  • Estacione seu carro um pouco mais longe, evite pagar estacionamento ou escolha um mais barato. Andar irá fazer bem para sua saúde também.
  • Se você ama doce e não fica sem, depois do almoço, experimente comprar em maior quantidade, para consumir durante o mês, no mercado ou casas específicas, elas costumam ser bem mais baratas no atacado. Ou, simplesmente, supere esse amor e deixe de comer. Faça as contas e veja que fará uma economia significativa no final de um ano.
  • Comece a fazer você mesmo alguns serviços como o de manicure, escova, por exemplo, existem muitos vídeos e artigos na internet que explicam todo o passo a passo e, alem de economizar tempo, você economizará muito dinheiro com isso.

Passo a passo de como identificar e eliminar dívidas 

Passo 1 – Negociar juros e eliminar as dívidas em atrasos

Depois de identificar para onde seu dinheiro esta indo, fazer cortes nos gastos e eliminar os desnecessários, é hora de eliminar as dívidas em atraso. Seu objetivo agora é baixar os juros e quitar as dívidas. Mesmo que esse financiamento seja antigo, é possível que você consiga baixar os juros cobrados em sua dívida, negociando com o seu gerente ou administradora do cartão e até mesmo, com outros bancos a portabilidade de crédito (a possibilidade que todo cidadão tem de transferir as suas operações de crédito, empréstimos e financiamentos, e arrendamento mercantil de um banco para outro, caso consiga taxas melhores.). Para isso, você deverá descobrir qual o valor da dívida inicialmente, quanto você pegou de empréstimo, quanto foi a compra feita no cartão, por exemplo, e depois descobrir qual o valor da divida atual, para saber o quanto de juros você está sendo cobrado.

A melhor saída é juntar dinheiro para pagar a dívida a vista, com dinheiro na mão, você terá poder de barganha e poderá negociar o menor juros possível.

Passo 2 – Como diminuir a taxa de juros da minha dívida

Existem duas maneiras de pagar menos por uma dívida: A primeira, e mais difícil, é indo direto ao seu credor, para negociar; a segunda é trocar sua divida cara por uma mais barata. Para isso, você precisará saber o quanto de juros está sendo cobrado, o valor da dívida original e atual.

Com esses dados em mãos, basta acessar a plataforma disponibilizada pelo Serasa, o Serasa e-cred, e consultar os tipos de empréstimos disponíveis e suas taxas de juros. Optando pelo mais vantajoso, quitando a dívida com juros mais caros e negociando um valor aceitável, já que estará orando a vista, assumindo uma divida mais baratas, com juros menores.

Todo processo é online, você não precisará sair de casa.

Passo 1 – Acesse o site do Serasa e-cred. Faça seu cadastro em “Cadastre-se Grátis”. Seguindo o passo a passo, intuitivo e prático. Para realizar seu cadastro, você deverá fornecer algumas informações pessoais e escolher uma senha para seus futuros acessos.

Passo 2 – Ao acessar a página do e-cred com seu login e senha cadastrados, você terá acesso a várias informações, inclusive a sua pontuação do Score de crédito. Vá até a aba “Do que você precisa” e selecione “Pagar dívidas”. Preencha os dados solicitados e clique em “Simular”.

Passo 3 – O sistema irá mostrar todas as opções disponíveis, dentro das informações fornecidas. Além do valor da parcela, ele informará a porcentagem de juros cobradas ao mês e a CET, o custo efetivo total. Escolha o que desejar, e caso seja a melhor opção, clique em “CONTRATE”.

Dicas importantes de como diminuir a taxa de juros

  • Ao solicitar um empréstimo, além de olhar a porcentagem de juros, o CET e o valor das parcelas, fique atento na quantidade de parcelas e o valor total da dívida. Lembre-se que quanto maior o prazo, maior a dívida ficará.
  • Para conseguir um empréstimo com taxas menores, você deverá mostrar para a credora que você é um bom pagador. Para fazer isso, tenha cuidado ao preencher seus dados no cadastro do Serasa, fornecendo a maior quantidade de informações possíveis (bens que possui, renda, entre outros).

Como identificar e eliminar investimentos que atrapalham seu objetivo financeiro

Escolher o melhor tipo de investimento também é fundamental para que seu dinheiro cresça em proporções aceitáveis pois, existem diversos produtos oferecidos como investimentos e na verdade não são, e outros que tem pouca liquidez e rendem pouquíssimo. Caso você possua um titulo de capitalização ou consórcio não se iluda, esses dois não são investimentos, e de longe são boas opções para guardar o seu dinheiro.

Todos os bancos possuem uma cartela com alguns produtos de investimentos, entretanto essas nunca são as melhores opções do mercado. Quase sempre possuem os prazos mais longos e lucros menores. Entenda desde já que, para ganhar mais, você deverá sair do comum.

Antes de investir o seu rico dinheirinho, procure saber o máximo de informações possíveis sobre a aplicação financeira em questão, hoje possuímos uma ferramenta extraordinária que nos viabiliza informações valiosíssima; utilize a internet ao seu favor. Procure por corretoras reconhecidas no mercado e abra sua conta. Nelas, são oferecidos diversos tipos de invetsimentos e você mesmo poderá geri-los.

É importante saber que o risco e recompensa andam juntos, e quanto maior a recompensa, maior o risco. Nunca invista mais do que está disposto a perder. Evite investir tudo em um só lugar, diversificando a sua carteira de invetsimentos de modo que você espalhe seu risco através de uma variedade de investimentos e de diferentes classes de ativos e de risco. Então, se um determinado investimento não se sair bem, você ainda terá outros para compensar as perdas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *